sábado, 20 de setembro de 2008

Contação de Histórias na Praça Getúlio Vargas - 20/09/08 - Botando a palavra pra andar!!

Hoje fomos à Praça e chegando lá, me surpreendi com o grande número de pessoas fazendo campanha política, por conta das eleições municipais. Grande também, era a quantidade de carros de som que circulavam a praça com suas músicas: uma mais chata que a outra...

Penso que por isso, foi bem difícil as pessoas aceitarem meu convite pra escutar histórias; em geral isso se dá de forma espontânea, natural.

Olha só, eu abordando uma família que fugia dos "santinhos" de candidatos:


Como estamos plugados no mundo, tínhamos uma câmera digital, que tem capacidade pra filmar um bocadinho... Resolvemos gravar uma coisinha pra eu botar aqui.

Ah! Sei lá o que aconteceu com a imagem do vídeo, mas parece que eu tenho um monte de chocolate no dente, ou coisa que o valha... Eu não tenho, tá? Eu tinha escovado os dentes e eles são bem limpinhos, viu crianças?

Então é isso, dêem uma olhada no que a gente gravou. A canção eu ganhei do meu amor e a filmagem também foi ele quem fez. É com esse moço que eu compartilho a vida e a praça. A historinha eu escutei há um tempão, de uma pessoa que contava pra outra... Acho que tem a ver com contar histórias na praça em tempo de eleição.

Inté.



video

6 comentários:

  1. Pô... sempre achei que praças combinavam com pipas, pés descalços, bicicletas, tricoteiras, brincadeiras, pipoca, maçã do amor... e muitas histórias... mas "que tempo é esse em que falar de flores é quase um crime..."
    "A Exceção e a Regra

    Estranhem o que não for estranho.
    Tomem por inexplicável o habitual.
    Sintam-se perplexos ante o cotidiano.
    Tratem de achar um remédio para o abuso
    Mas não se esqueçam de que o abuso é sempre a regra".

    ...esses trechos de poemas são do Brecht... acho que eles esclarecem um pouco o que eu tô sentindo... lindo vídeo...linda música... e revoltante indignação diante o "cotidiano"...

    Kaline.

    ResponderExcluir
  2. Quiçá um dia, ao invés de propaganda partidária, esses montes de carros de som saiam por aí, cantando histórias...

    ResponderExcluir
  3. Oi, Kaline!
    O Brecht esclarece mesmo...
    O que eu fico aqui a pensar é: será que as pessoas querem remédio pro abuso, se pemitem ficar perplexos?
    Tem nada não...a gente "torna a contar"...
    Como diz o poeta Hamilton Faria, "Acredito que somos seres espirituais e na poetização da vida como caminho do reencantamento do mundo. Acredito na construção da paz e na felicidade dos seres humanos. Acredito que a ação dos artistas no mundo pode contribuir para isso."
    Beijocas.
    Débora

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ana!
    Já pensou, que lindo? Seria um bálsamo, penso eu.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o seu Blog e seu trabalho, parece uma história...
    Me deu um ideia para o meu próximo BRINCARTE... Contar histórias.... Oba!!!
    Obrigada pelo premio!!!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  6. Nossa!!! Seu blog é muito bacana!
    Parabéns pelo trabalho.
    Um abraço

    ResponderExcluir