segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

MINHA RAINHA
Era uma vez uma mulher forte e bonita, que nem o nascer do Sol...

Ela, que nunca brincou quando criança e tão pouco teve boneca, sonhava em ter cria pra poder botar nela todo grande amor que não cabia em si.

Quando chegou a hora de sua criança vir ao mundo, a danada de lá de dentro da barriga, quis desistir...

_Muito esquisito esse lugar aí - pensou...

E nasceu de fórceps, que quando a vida avisa que chegou a hora e você não presta atenção, ela te empurra...ou te puxa, como no caso.

Foi assim que elas se olharam pela primeira vez: no susto! Levou tempo pra passar...

Meninota, via aquela mulher corajosa enfrentar o mundo... Bonita de um jeito, que já tinha sido até miss... Com coroa e tudo... Feito rainha...

Mas a rainha de sua vida, quis - diferente da de Copas da Alice - cortar-lhe as asas, invisíveis pro mundo, visíveis demais pra ela.

Foi então que a princesa encantou-se passarinha e voou tão longe quanto pôde... Aprendeu a voar bem alto, mas perdeu várias penas e penou um tanto, por conta da mudança climática da vida.

O tempo virou uma vez e ela, sentindo saudade do ninho, resolveu criar o seu - com ovo e tudo! Ficou dentro de si, prestando atenção nas horas e no silêncio; descobrindo o amor. Mas era um tempo de muito vento e o ovo caiu do ninho, que não estava seguro o suficiente e se espatifou...

Então, tornou a princesa passarinha a voar outro tanto... Bom de princesa passarinha é que não tem esse negócio de esperar príncipe, que no céu cavalo voa sozinho e passarinho não anda em cavalo.

O tempo virou uma, virou duas vezes e ela botou outro ovinho... Chocou este de um jeito mais seguro, tomando cuidado pra apará-lo, caso viesse o tempo bravo.

Os dias foram chacoalhados por trovões, mas a tempestade passou... Por sorte, as penas só estavam molhadas. Ufa! É difícil segurar ovo no ninho, sozinha.

Quando o ovo quebrou, nasceu dele uma luz que fez a princesa passarinha lembrar-se de quem era e...Pronto! O encanto se desfez e ela voltou a ser humana, feito mulher...Uma menina nos braços e a coragem herdada.

O tempo virou uma, virou duas, virou três vezes e ela reencontrou a rainha.

Mas agora não era mais princesa e o susto já tinha passado; nem quis voar pra longe. Também a rainha não queria mais cortar suas asas... Queria era acariciá-las, fazendo-as ainda mais leves.

Chegou o mais perto que pôde e percebeu que a vida tinha passado tantas vezes por ali, que deixou marcas no corpo da primeira, tornando-a ainda mais bonita. Sua força agora, vinda de um dentro bem profundo, sai em forma de sorriso fácil e gostoso.

Não se cansa de visitá-la, pra não dar tempo de a saudade chegar, e a observa pra ver se aprende as coisas... Hoje, a rainha ajuda a mulher a arrumar suas asas invisíveis e esta consegue ver a coroa na cabeça da rainha, novamente. Ela brilha muito e faz com ela queira ser tão forte, corajosa e bela como sua rainha e ainda, que tenha a certeza de que seremos felizes, tanto quando pudermos ser.

E essa história entrou por um pé de pato, saiu por um pé de pinto. Quem souber de outra, que me conte cinco.

O Cláudio me ajudou a fazer este filminho pra minha mãe... Um presente de memória afetiva... Ela fez aniversário ontem. Parabéns, mãe!

video

Inté.

6 comentários:

  1. AH DEBORA EU AMEI DEMAIS SEU BLOG, SOU AQUI DE SÃO JOSE, AMANTE DE PURUBA E AMIGA DO LATINO E DA LU, QUERIA MUITO PARTICIPAR DO SE BLOG, PQ EU TB SONHO EM SER CONTADORA DE HISTORIA, MAS A CONTADORA AINDA MORA NO MEU PEITO TENHO QUE VENCER A TIMIDEZ, SE É QUE ME ENTENDE,RSSS, MAS SEI QUE VOU APRENDER MUITO NO SEU BLOG, UM GRANDE BEIJO VERDE A VC E A SUAS LINDAS HISTORIAS, IRA!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Iracy! Puxa, que beleza...essa contadora que mora aí em seu peito, teima em aparecer! Deixa ela sair, minha querida... É soltar-se...experimenta...sem medo...ela sai, sem lhe machucar...Venha aqui pra Guarulhos...todos os sábados eu conto histórias em um parque perto de casa...de repente, essa contadora que está aí dentro me vê, fica inspirada e quer contar também? Caso cê não venha, em julho eu estarei em São José, prum Congresso de Folclore. Me manda seu emeio aqui ó: deborakikuti@gmail.com
    Daí, a gente conversa mais.
    Muito agradecida pela visita!!!
    BEijão

    ResponderExcluir
  3. ... eita, Deh ... q história linda demais da conta ... até chorando eu tô , rs , mas eh choro leve de bom ... grata ... bjão no coração e q seja um ano todo bom pra ti ... sds !!! ... se cuida se !!! ... thabata ...

    ResponderExcluir
  4. Pássara Rainha...passar a rinha...pá sarar a passarinha!

    ResponderExcluir
  5. Que maravilha ler o seu texto, Débora!! Você saiba que é sempre uma inspiração para mim. Uma pessoa livre e leve, por isso voou tão longe, mas sempre capaz de voltar pro ninho. Voou pra ficar sábia e não para fugir. Deu todas as voltas que precisava para ficar leve e cheia de histórias para nos encantar!!Que bom que eu te conheci e posso voar longe com as suas histórias encantantes. Muito obrigada, um grande abraço cheio de querença e mineirança. De mineira para mineira. Beijoss e inté!!

    ResponderExcluir